Finasterida

Finasterida

Tal como acontece com outros medicamentos usados no tratamento da queda de cabelo, o Finasterida é igualmente prescrito para o tratamento de outras doenças, sendo que neste caso, este medicamento é aconselhado em altas doses para o tratamento da hiperplasia prostática benigna e cancro de próstata, algo extremamente diferente, bem mais grave, do que a queda do cabelo.

O medicamento, Finasterida,  pode também ser visto em outros nomes, nomeadamente Proscar, Propecia, Fincar, Finalop, Finpecia, Finax, Finast, Finara e até Prosteride, sendo que se trata de um fármaco inibidor da enzima que tem como função converter a testosterona em di-hidrotestosterona. Provavelmente já ouviu falar bastante deste medicamento, pois devido à sua composição, é uma das substâncias capazes de mascarar o doping desportivo, portanto é igualmente proibido na área desportiva, apesar de muitos atletas tentarem contornar o sistema.

Durante muito tempo este medicamento foi usado em forma de comprimidos de 5 miligramas, indicado para tratar doentes com hiperplasia prostática benigna ou mesmo cancro da próstata, apresentando resultados bastante positivos. Por outro lado, além destes fantásticos resultados, os doentes apresentavam ainda um efeito colateral, a detenção da queda de cabelo e o incentivo ao crescimento de novo cabelo na mesma zona. Com vários testes e estudos efectuados, este tornou-se o primeiro fármaco via oral que tinha realmente efeitos positivos neste tipo de tratamento, sendo rapidamente aprovado pela FDA.

A Finasterida é um anti-androgénio sintético, que tem como principal objectivo inibir a enzima 5-alfa-reductase que geralmente converte a testosterona em di-hidrotestosterona, uma das principais causas da queda de cabelo masculina. Com a utilização deste fármaco, não só a perda capilar pára, em alguns casos à relatos de sucesso a 100%, assim como na maioria destes é promovido o crescimento capilar nas áreas mais afectadas. Apesar da grande maioria dos pacientes sofrer de queda de cabelo por condições hereditárias, este medicamento pode tratar o problema com uma grande taxa de sucesso.

Modo de Uso da Finasterida

A marca mais conhecida actualmente no mercado de Finasterida é “Propecia”, sendo que a sua presença no mercado é praticamente inquestionável, com campanhas publicitárias bastante interessante e acima de tudo, explícitas sobre os resultados que os pacientes vão obter.

Apesar de existirem vários tipos de patologias e cada especialista tem o seu próprio método de tratamento, quem usa este fármaco diariamente tem algumas características gerais. Ao contrário de outros medicamentos para o tratamento da queda de cabelo, o Finasterida é em forma de comprimido, contrariando a normalidade.

A dose recomendada, pela maioria dos especialistas, é de um comprimido, de 1mg, por dia, sendo que uma dose mais elevada pode trazer vários tipos de problemas de saúde, bastante mais graves do que a queda do cabelo. O Finasterida é um medicamento que tem resultados bastante interessantes, contudo é requerido continuidade, pelo que é aconselhável que tome a medicação diariamente, sem falhas.

Na maioria dos casos, é necessário que o tratamento seja feito, diariamente, entre 6 a 8 meses para que os resultados desejados sejam obtidos, contudo este tempo depende exclusivamente do estado da doença e acima de tudo do aconselhamento médico especialista. Ao contrário de outros tratamentos, o Finasterida não é duradouro, isto é, depois do mesmo ser suspenso, o couro cabeludo volta ao seu estado anterior ao fim de, sensivelmente, um ano, pelo que provavelmente terá que continuar o tratamento ou optar por aceitar a queda de cabelo.

Cuidados a ter na utilização da Finasterida

Durante o tratamento da queda de cabelo, nomeadamente com Finasterida, é extremamente necessário ter alguns cuidados específicos. Tendo em consideração todos os estudos feitos e todos os resultados obtidos por pacientes de várias faixas etárias, a maioria dos especialistas afirma que existem vários cuidados específicos que são necessários para garantir a eficácia do medicamento e, mais importante ainda, sem outros problemas de saúde adversos.

Assim, os especialistas aconselham a que no caso dos pacientes terem hipersensibilidade a qualquer um dos componentes do medicamento, daí ser tão importante conhecer toda a sua composição, devem abandonar rapidamente o tratamento e nunca mais o usar, evitando assim outros problemas de saúde mais graves. Por outro lado, apesar do medicamento ter sido usado durante muito tempo para o tratamento de hiperplasia prostática benigna, no caso de sofrer da doença, deve contactar o médico de família ou especialista, para aconselhamento da dose apropriada. Outra das condicionantes, que poucas pessoas têm conhecimento, é que este medicamento não é aconselhado a homens com intolerância à galactose.

O Finasterida, ao contrário de outros para o mesmo tipo de tratamento, não pode ser usado, de forma alguma, em mulheres ou crianças, pelo que é aconselhado apenas para o sexo masculino, devido à sua composição e às suas características. Assim, se estiver a procurar tratamento para a queda de cabelo, não deve optar por este medicamento, existindo outros no mercado igualmente eficazes e sem esta condicionante, nomeadamente o Minoxidil.

Efeitos secundários da Finasterida

Qualquer medicação, quando não é administrada com a dose aconselhada para o problema e tendo em consideração o organismo do indivíduo, pode originar uma série de efeitos secundários, ainda mais nos medicamentos para o tratamento da queda de cabelo, onde os efeitos colaterais são mais visíveis, como é o caso do Finasterida.

O Finasterida é um medicamento bastante tolerado, contudo, no caso de algum destes efeitos surgir, de forma contínua e com demasiada intensidade, é aconselhável a consulta imediata de um médico especialista ou mesmo do seu médico de família, sendo também aconselhado a paragem da toma deste imediatamente.

Entre os efeitos colaterais mais comuns, destacam-se alguns ligados à vida sexual do homem, nomeadamente:

  • em alguns casos há uma diminuição da libido, pelo que o desejo sexual do homem é ligeiramente afectada, traduzindo-se assim muitas vezes em problemas familiares, algo que nenhum homem anseia passar;
  • existem também alguns casos de disfunção eréctil, um problema tão comum que afecta tantos homens, porém com tratamentos tão dramáticos e resultados bastante insatisfatórios;
  • há também relatos de diminuição do volume da ejaculação, sendo que não afecta directamente a vida sexual do homem, contudo poderá trazer outro tipo de problemas futuros.

Apesar da gravidade de alguns destes efeitos secundários, segundo os estudos realizados, estes desapareceram tanto naqueles que terminaram o tratamento imediatamente como naqueles que o prosseguiram, pelo que existem diversas reações possíveis do organismo. Assim, é extremamente importante que no caso de um destes sintomas surgir, contactar rapidamente o seu médico de família ou especialista que o está a acompanhar em todo o processo do tratamento, evitando assim traduzir-se em situações mais graves no futuro.

Veja também

Plasma Rico em Plaquetas

Impeça a queda de cabelo com o Plasma Rico em Plaquetas (PRP)

Cada vez maior é o número de técnicas utilizas no processo de tratamento e prevenção da …

Deixe uma resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *